Categorias

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Respirando Cultura - Exposição Quilombos Emigrantes

Está em exposição no hall do Bloco IV, Reitoria da UFT, Palmas-To, registros fotográficos Quilombos Emigrantes - A História do Cocalinho, por Emerson Silva.

Eu adorei as fotos e trouxe para os leitores algumas, aqui.

O mais interessante é que no local da exposição encontram-se disponíveis cartões postais com algumas das fotos deste trabalho de Emerson Silva.

Um pouco mais sobre o fotógrafo:

"Paulistano de nascimento, tocantinense por adoção. Emerson Silva abraçou o ofício da fotografia ao mesmo tempo em que mantinha contato com as diversas manifestações culturais da região.
Nos últimos 8 anos, registrou e se envolveu com etnias indígenas, comunidades quilombolas, artistas populares de praticamente todos os 139 municípios do Tocantins.
O resultado de todo este trabalho agora vem sendo revelado ao grande público por meio da participação em editais de nível nacional, como o Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro-brasileiras, promovido pelo CADON - Centro de Apoio ao Desenvolvimento Osvaldo dos Santos Neves, através do qual já mostrou a diversidade cultural de outra comunidade quilombola tocantinense, a de Lagoa da Pedra, em Arraias."
Fonte: Panfleto da Exposição Quilomboa Emigrantes - Texto - Luciano Pereira da Silva- Historiador

Todas as fotos  que seguem são de Emerson Dias.
Cartão Postal

Cartão Postal

Cartão Postal



Cartão Postal


segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Dança do Ventre.

Continuando a série: A dança em minha vida. Trouxe uns registros de jornal impresso que eu já havia feito a montagem no programinha de imagens mas, havia me esquecido de postar, hehehehhehehehe eu e minha cabeça de vento.

Este vai para minha irmã Ana Célia e, para a princesa Aziza Mor-Said.

Aqui neste recorte do Jornal Folha Popular, estão citando a nossa querida Aziza Mor-Said, que já figurava como grande bailarina nacional na época, e hoje em dia é uma das melhores no cenário nacional.
Fiz a montagem neste pois não cabia a folha toda aqui heheheheheh.










O que pode parecer discordância verbal no texto do jornal, é porque eu quando fiz a montagem acabei cortando a parte de cima do texto. A matéria todo pode ser lida no recorte de cima.


Outra hora eu trarei mais registros da dança em minha vida.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

A Dança na minha vida.

Com 18 anos de idade, dançando carimbó no Colégio Dom Amando, em 1996, dançando como ex-aluna.


Com 19 anos, pelo Paracantins pronta para entrar em cena, em Palmas-TO.

Registro fotográfico PARACANTINS-CARNAVAL

No ano de 2000, nós Deane, Cristina, Ana Célia e Ana Paula, fomos destaques de chão da Escola de Samba Mangueira Palmense. Anos depois, em 2005 vim descobrir que o mestre de bateria naquele ano era o João Carlos, meu maridex, rááááááá, coisas do destino.

É bom ter boas lembranças.
1ª foto: Ao fundo ala indígena, e logo a frente Cristina e Ana Célia. 2ª Foto da esquerda para a direita: Ana Célia, Deane, Cristina, Ana Paula e Adriana.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Registros fotográficos Paracantins

Então, hehehehe, editando os vídeos antigos eu descobri que o editor de vídeos Windows Movie Maker dá pra gente a opção de salvar imagens do vídeo que se está editando, dái hihihihihi Ana Célia, Luani e Sônia Cristina, Adriana, Deane, Devane, José, Daiane, Ângelo Fernna (!!!!! sempre com 2 "n" kkkk), Papai e Mamãe , que me veio a idéia de extrair imagens, assim posso montar um álbum alternativo.

É isto, não tem muito o que escrever, fiquem com as imagens.


Fonte das imagens: arquivos de vídeos Paracantins.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Ensaios Grupo Folclórico Regional Paracantins



Continuando a Série Ensaios do Paracantins, trouxe a Toada  Sonho de Liberdade (Chico da Silva, Roseane Novo e Tadeu Garcia), do Boi-Bumbá Garantido. E uma toada emocionante quando a gente dança, só quem é vermelho sabe o que digo, rs.
No gingado destes passos somos, eu (Ana Paula), Ana Célia (minha irmã) e Sônia Cristina (mocreiuda kkkkkkkk).
Bueno, não escreverei tanto, como já sabem estou digitalizando os registros em VHS do nosso extinto grupo de dança, portanto o blog trará mais vídeos de boi-bumbá e de carimbó.
Para saberem mais sobre meu Boi-Bumbá Garantido, visitem o Site Oficial do Boi Bumbá Garantido.

A letra da Toada eu compartilho aqui:

SONHO DE LIBERDADE
 (Chico da Silva, Roseane Novo e Tadeu Garcia)

Boi Garantido, é histórico, é sabido 
Que mestre Lindolfo Monteverde 
Aos 18 anos de idade contigo sonhou 
Boi Garantido, sonho de Lindolfo Monteverde 
Do poeta a oitava maravilha 
Se realizou
Toma a liberdade pro teu povo 
Vamos conquistar espaço novo 
Pra nação vermelha e branca tribal 
Vamos vencer, boi Garantido 
Vamos vencer, e o inimigo 
Fazer correr, para bem longe do teu curral
Estamos aqui para o que der e vier 
Só tua vitória é o que a gente quer 
Vence meu novilho vencedor 
Briga meu garrote brigador 
Balanceai 
Desafiai
Ginga meu boi (3x)Ê boi
Brincar, brincar Garantido 
Como o teu mestre mandou 
Mostra pra nossa galera 
Que o mais querido chegou
Fazendo inveja ao contrário 
Que sempre te invenjou (2x)

quinta-feira, 26 de julho de 2012

PARACANTINS

Como já havia comentado eu iria digitalizar os vídeos vhs do nosso extinto grupo folclórico, PARACANTINS, rs.
Esta é minha primeira tentativa de converter vídeos e editar, por favor desculpem se não cheguei no nível de qualidade merecida para ser assistido.
Alô meninas do Grupo Folclórico Paracatins, vamos manter viva nossa memória!
Beijos, até a próxima.




quarta-feira, 11 de julho de 2012

Cultivando amor!

Nestes tempos de greve dos servidores federais, estou tendo mais tempo em casa. Podendo me dedicar aos detalhes, limpeza física e espiritual do lar.
E quer coisa mais deliciosa do que se dedicar as plantas?
Neste mês de julho as Espadas de São Jorge estão nos presenteando com o perfume de suas flores, elas ficam no jardim da janela do meu quarto. Sua flores têm perfume marcante e soltam seu cheiro sempre à noite.

Metendo a mão na massa, fiquei com vontade de iniciar uma pequena horta.

Pensando em começar pelas cebolinhas, reservei mudinhas depois de ir a uma horta comunitária que fica em uma quadra próxima da minha, na 1206 SUL. Eu iria fazer apenas um vaso com garrafa pet, cheguei a plantar e tudo... como podem ver na foto abaixo.
Meu marido, João Carlos ( interessante que o significado de Carlos é fazendeiro, ou homem do campo...rs) se empolgou tanto com a história que resolveu aproveitar uma área do nosso quintal para iniciar de fato e de direito uma hortinha. Reparem que começamos com um pequeno pedaço de terra que futuramente será ampliado para toda a extensão ao redor do muro dos fundos.
Logo, no mesmo dia no fim da tarde, nós aproveitamos o restante das mudinhas mais as que já estavam no vaso de garrafa pet, e transferimos todas para o solo preparado com terra preta e esterco de gado.
Estamos já pensando em fazer em outras porções de terra, pequenas plantações de quiabo, couve, chicória e alfavaca.

Pessoas queridas, plantar é bom demais, o contato com a terra nos dá boa energia além de ser ótima para descarregar eletricidade estática das pessoas que ficam o dia inteiro praticamente trabalhando com aparelhos eletrônicos.

Abraço Fraterno.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

AMIZADE

 Hoje venho falar da Amizade, é interessante como nos conectamos as pessoas através de uma lei física, a atração. Sim, é através da atração vibracional que nos ligamos a pessoas que tornam-se nossas amigas, e nem nos damos conta em que ponto da história isto ocorreu.
São risadas compartilhadas, lágrimas, brigas, conversas bobas que vão moldando as amizades. E, quando percebemos nem a distância se torna um obstáculo intransponível.
Em minha vida, fiz poucas amizades mas são aquelas como se diz por aí "de rocha".
E aos amigos eu dedico este poema, em homenagem a:
Minha mãe e meu pai, minha irmã. Meus filhos, Meu marido.
Alcione, Luani, Sirley, Marcella, Fernanda,Hamistenie e, aos que virão. Porque a vida é feita de amizades.
 


Amigo
E um adolescente disse: "Fala-nos da Amizade."
E ele respondeu, dizendo:

"Vosso amigo, é a satisfação de vossas necessidades.
Ele é o campo que semeias com carinho e ceifais com agradecimento.

É vossa mesa e vossa lareira.
Pois ides a ele com vossa fome e o procurais em busca da paz.
Quando vosso amigo manifesta seu pensamento,
não temeis o "não" de vossa própria opinião, nem prendeis o sim.
E quando ele se cala, vosso coração continua a ouvir o seu coração.
Porque na amizade, todos os desejos, ideais, esperanças,

nascem e são partilhados sem palavras, numa alegria silenciosa.
Quando vos separeis de vosso amigo, não vos aflijais.
Pois o que vós ameis nele pode tornar-se mais claro na sua ausência,
como para o alpinista a montanha aparece mais clara, vista da planície.
E que não haja outra finalidade na amizade
a não ser o amadurecimento do espírito.
Pois o amor que procura outra coisa
a não ser a revelação de seu próprio mistério não é o amor,
mas uma rede armada, e somente o inaproveitável é nela apanhado.
E que o melhor de vós próprio seja para o vosso amigo.
Se ele deve conhecer o fluxo de vossa maré,
que conheça também o seu fluxo.

Pois, que achais seja vosso amigo
para que o procureis somente fim de matar o tempo?
Procurai-o sempre com horas para viver.
Pois o papel do amigo é o de encher vossa necessidade,
e não vosso vazio.
E na doçura da amizade, que haja risos e o partilhar dos prazeres.
Pois no orvalho de pequenas coisas, o coração encontra sua manhã e se sente refrescado.

Khalil Gibran
Do Livro "O Profeta"

domingo, 17 de junho de 2012

Arte na Cozinha!

Reaproveitando molduras antigas de porta-retratos, combinadas com pinturas em tecidos feitas por mim e, muita vontade em deixar meu lar mais aconchegante.
 A gravura com o Garrafão, Prato e Frutas e, um dos primeiros morangos que treinei em curso de pintura em tecido.
Eu bem que havia pensado em lixar e pintar  de branco estes porta retratos porém, se eu quero reaproveitar materiais para evitar desperdício de recursos, porque usar tinta? Sim porque usarei a tinta com pincel, depois terei que lavá-los com tíner, isto tudo vai parar nas águas que serão tratadas pela ETE's - Estação de Tratamento de Esgoto de Palmas...
 Portanto se quero ter de fato uma atitude de defesa do meio ambiente consciente, achei melhor que eles continuassem deste jeito.
Depois que dispus eles na parede da cozinha, fiquei pensando o que seria melhor para fazer companhia para eles lá em cima. Um varalzinho de flores? Um pisca-pisca de luz fria enfeitado, com alguma coisa que não sem bem ainda o que? rsrsrs...
Aceito sugestões.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Cuidando do seu lar, cuidando das suas idéias.

Dando aquele toque particular.

Está sem grana para decorar a casa? Está sem inspiração?
Que tal utilizar objetos que estavam guardados?
Dê valor aos detalhes simples, um arranjo de flores com um porta açúcar que ficou sem tampa, uma mesa antiga, um lampião a querosene que está quebrado, uma fruteira de madeira que estava encostada em um canto qualquer.
Garanto que se você colocar amor e dedicação sua casa ficará mais alegre, e melhor com o seu toque especial.
Beijos.

sábado, 9 de junho de 2012

O Corpo, mudanças, descobertas.

Gravidez da Anamaya. 2010

Bom dia.
Encontrei um texto super interessante, não conheço pessoalmente a pessoa mas, me perece ser super gente boa http://dancarounaodancar.blogspot.com/2012/04/quando-o-corpo-muda-danca-muda.html, blog de Natália.
Neste seu desabafo em forma de postagem ela propõe o debate sobre o que muda no corpo da bailarina após a maternidade. Como este corpo reage e estes estímulos, sensações, experiências que ganhamos ao longo da/das gestações? O que fica agregado a nossa dança, ao nosso modo de interpretar...?
Bueno, não sou bailarina profissional de dança do ventre, mas tenho um contato razoável com esta arte, na realidade eu passei boa parte de minha vida  em contato com outras modalidades de dança, em especial as folclóricas brasileiras, como boi-bumbá e carimbó.
A dança do ventre entrou em minha vida como instrumento de aprendizado para adquirir postura, presença de palco e graciosidade, foi através de aulas com uma professora já em idade madura que tive meu primeiro contato com a dança. Isto foi em 2001.
Fiquei apenas 2 anos tendo aulas regulares... infelizmente passei por alguns momentos difíceis da vida que me impossibilitaram de dar continuidade nos estudos com afinco e, somente depois de quase 10 anos eu retorno a praticar.
Em 10 anos muita coisa se passou em minha vida, muitas experiências, muitas emoções mudaram minhas percepções, dentre tantas eu tive 2 gestações que chegaram a idade gestacional avançada mas acabei perdendo as crianças, uma eu perdi aos 6 meses de gestação e outro com 8 meses... Isto é algo avassalador para uma mulher.
Graças ao nosso Deus de infinita misericórdia eu ganhei um casal de filhos nos últimos 4 anos, que veio não suprir a falta do primeiro casal que perdi, mas, digamos me trouxe esperança e renovação de muitas alegrias.
Vamos ao ponto das mudanças na minha maneira de dançar: desde que voltei a praticar a dança neste ano de 2012, eu percebi de cara ao começar a executar os movimentos que meu corpo estava falando de maneira diferente, não era mais aquele corpo que antigamente nas aulas e em apresentações informais da escola de dança parecia amarrado, travado, delimitado. Antes minha razão comandava meus movimentos, a preocupação excessiva em executar o passo de maneira correta, o medo de errar era uma trava para meu desenvolvimento.
Mas agora, meu corpo quando dança sente de maneira plena, não sei explicar, minha mente não me trava mais, as emoções eu as sinto aflorarem qdo treino por exemplo o tão assustador tremido, que para todas nós acredito é o "sonho de consumo". Meu redondos são alegres, meus camêlos tem mais sentido agora,  meus braços parecem que guardam as lembranças do amamentar... É um tanto poético eu sei, mas são minha impressões.
Esta semana eu estava ouvindo o poscast do site Sala de Dança, cujo tema foi "Corporificando" e ali ouvindo um debate maravilhoso pude entender muito do que venho sentindo em meu novo e surpreendente contato com a dança do ventre. Estou corporificando na dança do ventre as minhas vivências.

sábado, 2 de junho de 2012

Caminhos...


... sabem aquele momento em que a gente se dá conta que perdeu a rota? Eu estou me sentindo assim, perdida. Há mais ou menos 10 anos eu deixei de lado um grande sonho, a dança, em especial a Dança do Ventre e, agora não estou sabendo como retomar a estrada, por qual trilha devo retornar.
Isto é angustiante, é frustrante!

Em 2003 eu estava com...ahhhnnn 26 anos, poderia perfeitamente ter arregaçado as mangas, ido em busca das meus objetivos, ter coragem para enfrentar todos os obstáculos. Por que não fiz isto meu Deus?
E hoje, agora me bate na porta da alma este sentimento de frustração total comigo mesma, por ter deixado de lado, por ter abafado e sufocado minha vontade de continuar dançando, devido a inúmeras circunstâncias daquela época. Deixei meu sonho de dança escondido num baú, no lugar mais escondido da minha mente, e achava que ele iria ficar ali para sempre.

Mas agora volta a pulsar forte, em cada célula do meu corpo, do meu perispírito e do meu espírito.


Impulsionada por uma vontade maior, pouco a pouco voltei a assistir vídeos na internet, tirei a poeira dos meus CD's, revistas e meus materiais de estudo daquela época, comecei a pesquisar e estudar blogs relacionados ao meio como www.amarelbinnaz.com.br, http://ventredadanca.blogspot.com.brhttp://luciana-arruda.blogspot.com.br, http://www.saladedanca.com.br/  este último site em especial foi que me deu uma injeção de ânimo, fez que uma luz se acendesse em meu coração, pois ouvindo aos podcast's criados para o site tudo veio a tona em minha mente, em tal proporção que se eu não tomar uma atitude agora em minha vida, pode juntar tudo e jogar fora que não vou prestar pra mais nada ... Gente, quando a dança está dentro de nós de tal maneira que, em certos momentos você acha que é a dança, que é aquela música que te faz vibrar, ondular, girar, que te faz viver... não tem como a gente pegar outra estrada, mesmo que esta estrada nós mesmos tenhamos que construir.

















Engraçado, que estes dias eu estava conversando com o pessoal do Grupo da Sala de Dança Podcast  https://www.facebook.com/groups/saladedanca/, falávamos sobre nossas vidas, nossas experiências e eu comentei que tenho um sonho, quero ganhar na mega sena, lotomania sei lá, mas tem que ter muita grana, kkkkkkk, assim eu poderei ser produtora cultural aqui em Palmas. Quem sabe né gente? Poder trazer workshops de Dança do Ventre, espetáculos, a Cia de Titãs, o Flávio Amoedo, Lulu from Brazil, Carol Louro, Bruna Milani, Valéria Alves, e tantos outros que são feeeeeras. Fazer uma bafafá geral e periódico por aqui, e no meio de todo este AUÊ, a Vera Moreira do Amar El Binnaz Dança do Ventre, do blog que mencionei acima, FAZENDO AQUELA APRESENTAÇÃO, INTERPRETANDO AMAL HAYAT, QUE ELA NÃO QUIZ MOSTRAR PRA NÓS (ela disse que foi embromation mas eu duvidooo) e ainda por cima fazendo entrevistas com as celebridades....kkkk ai gente, são sonhos, sonhos, sonhos.

Pareço doida? (por favor, não respondam, kkkkkk) Mas a realidade é que hoje estou aqui com 35 aninhos, querendo voltar a praticar Dança do Ventre com foco na formação de fato, para me tornar uma professora de Dança do Ventre, uunn uunn.... Devo seu doida mesmo, rs.

Oh meu Deus, me oriente, me ilumine para que agora eu possa ter sabedoria e recomeçar, é muito forte isto que sinto é como se gritasse dentro de mim: Vá e faça!

terça-feira, 29 de maio de 2012

A Dançarina - Khalil Gibran

By Ana Paula.

A Dançarina 

 "Um dia, veio à corte do Príncipe de Birkasha, uma dançarina e seus músicos. ...e ela foi aceita na corte...e ela dançou a música da flauta, da cítara e do alaúde.

Ela dançou a dança das chamas e do fogo, a dança das espada
s e das lanças; e ela dançou a dança das flores ao vento.

Ao terminar, virou-se para o príncipe e fez uma reverência. Ele então, pediu-lhe que viesse mais perto e perguntou-lhe: 'Linda mulher, filha da graça e do encantamento, de onde vem tua arte e como é que comandas todos os elementos em seus ritmos e versos?


A dançarina aproximou-se, e curvando-se diante do príncipe disse: Majestade, respostas eu não tenho às vossas perguntas. Somente isso eu sei: a alma do filósofo vive em sua cabeça, a alma do poeta vive em seu coração, a alma do cantor vive em sua garganta, mas a alma da dançarina habita em todo o seu corpo.”


Extraído do livro "O Viajante" de Khalil Gibran


By Ana Paula.

terça-feira, 15 de maio de 2012

PARACANTINS - O INÍCIO

O início
Olá pessoas lindas, vou começar a contar uma história cheia de arte, entrega, dança e brincadeiras.Uma história de pessoas que souberam aproveitar o melhor dos momentos vividos. Tudo isto aconteceu no período em que existiu um grupo amador de dança, aqui em Palmas, o Grupo Folclórico Paracantins (Pará+Tocantins).

Mais ou menos em abril de 1997 comecei a frequentar o Grupo de Jovens da Paróquia São José-Palmas/TO e, fiquei sabendo que no mês de junho haveria um encontro dos Grupos de Jovens da Capital, e que estes grupos deveriam levar alguma atividade cultural para o encontro. Eu sugeri que apresentássemos uma coreografia do Boi-Bumbá de Parintins, alguns colegas acharam interessante e começamos a ensaiar nos fundos da casa de meus pais, na Antiga Arse 71.

Foram  2 coreografias escolhidas:

Pesadelo dos Navegantes  http://letras.terra.com.br/caprichoso-boi-bumba/1251399/(confiram aqui letra, música e coreografia, não é nosso grupo dançando, serve apenas para ilustrar), e Boi-Tatá http://www.cifraclub.com.br/caprichoso-boi-bumba/boi-tata/ (aqui letra e música), as duas coreografias são do Boi-Bumbá Caprichoso.

Foram 4 semanas de intensos ensaios, todas as noites, em meio a muita diversão e dança, onde a formação inicial do grupo foi: Adriana (Drica), Ana Paula (euzinha), José, Luani, Rose e Sônia Cristina.

A apresentação foi um sucesso, todos naquela noite gostaram, nos apresentamos no Pátio da Paróquia São Cristóvão, da antiga Arse 41.

Depois daquela noite para nossa surpresa Luani, Adriana e Rose sugeriram que déssemos continuidade ao grupo, elas queriam continuar aprendendo Boi-Bumbá e, pediram permissão aos meus pais para os ensaios continuarem sendo lá na nossa casa. Bom, nos reunimos para decidir se prosseguiríamos de fato e continuamos a nos encontrar sempre de noite para aprender coisas novas.

E assim surgiu o Paracantins, um grupo de jovens que só queria se divertir e cultivar a cultura brasileira. Muito embora, alguns tivessem entendido errado nossa proposta e por muitas vezes tenhamos sido menosprezados, xingados, e até perseguidos por pessoas que, se achavam no direito de tolhir nossa liberdade de expressão.

Mas isto é para o próximo capítulo da Saga Paracantins.

P.S.: Para Cristina, nesta foto você mal aparece, mas te prometo que na próxima publicação terás um lugar de destaque. ;)

segunda-feira, 14 de maio de 2012

PARACANTINS

Grupo Folclórico Paracantins. Fonte: http://www.flogao.com.br/celinhadabio/39178821

Olá, pessoas queridas, como eu havia mencionado na sexta-feira passada que eu iria reunir material para nova postagem, vim aqui no meu bloguitcho já deixar espaço reservado para isto. Hoje no horário de almoço publicarei o material: fotos e mais fotos, do início do Grupo Folclórico Paracantins.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Primeiras apresentações de Dança do Ventre em Palmas-TO

Nota de apresentação do Grupo Devadasi, no Jornal do Tocantins.


Então minha gente,  estou aqui de volta com o assunto Dança do Ventre. Decidi fazer meus registros no blog, pois assim vocês que me acompanham aqui podem conhecer um pouquinho desse momento vivido por mim e as pessoas que participaram comigo de tudo isto, também podem acompanhar e guardar estes momentos valiosos,e  mostrar aos filhos, sobrinhos, familiares e amigos.

Estas foto-colagens retratam o curto período em que existiu um grupo amador de Dança do Ventre, aqui em Palmas-TO,  durante o ano de 2001, que nossa professora na época Serina Raruá, não sei por que cargas d'água denominou de Grupo DEVADASI. Acho que se nós soubéssemos o que significa de fato ser uma Devadasi não teríamos concordado com este nome. Levei um susto ao saber o que de fato viria a ser uma Devadasi, é uma prostituta indiana ou melhor dizendo, mulheres que cultuam a deusa através do seu corpo, prestando esta reverencia através do sexo, no templo. Mas eu entendo que o intuito de nossa professora foi nos chamar de “servas da deusa”.

Mas deixa estar, é vivendo que se aprende, mas serve de alerta para quem quer nomear grupos de dança, ou para quem quer escolher seu nome artístico, não basta achar bonito. Vai saber o que significa, valeu?
http://www.terra.com.br/revistaplaneta/edicoes/437/artigo126052-1.htm, aqui neste link temos uma breve ilustração do que é uma Devadasi, "serva da deusa".

Bem, vou confessar uma coisa, na época eu não pesquisava tanto quanto deveria,  sobre estes assuntos, o pouco que juntei de acervo sobre dança do ventre, colhi no site http://www.khanelkhalili.com.br/frame.htm, que inclusive tenho textos extraídos de lá, que hoje já foram retirados do site. Textos de Lulu from Brazil de um antigo site seu, pois, agora já é outro- http://lulushangrilahouse.blogspot.com.br/, mas eu tenho tudo arquivadinho para estudos.

O fato é que este grupo que foi composto inicialmente por Ana Célia, Ana Paula, Sônia Cristina e Estela fez umas pouquíssimas apresentações amadoras, umas três se não me engano. E, sinceramente não tenho medo em dizer, se eu pudesse voltar no tempo eu, estou dizendo, eu, meninas... Não me meteria nisso: Sair dançando sem saber dançar direito.

Hoje analisando com calma, acho que fomos com muita sede ao "jarro da dança", não basta saber executar os passos básicos e achar que está apta a ser uma bailarina de Dança do Ventre, tem muito mais coisas em jogo, muito mais. Talvez seja por isto que o grupo não foi em frente, faltou preparo.

Além de você já estar apta, ou seja, já ter pelo menos terminado o nível avançado, você deve ter noções de como se portar antes, durante e depois das apresentações. Seria interessante investir em cursos, workshops e obviamente estudar sempre para ter uma qualidade na sua dança.

Fui feliz demais, sim eu fui, mas hoje eu pensaria mil vezes. Eu tenho as apresentações gravadas do Devadasi, mas primeiro eu tenho que consultar as meninas e saber se eu posso trazer a público. ;)

Mas uma coisa é certa, tínhamos coragem! Ou será que éramos caras de pau mesmo?

Colaboração editorial: minha coleguinha Hamistenie Borges.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Direto do túnel do tempo!

AHHHHH A dança! WOOOOW A Dança do Ventre!

Sem querer desmerecer as outras formas de dança, mas esta em especial mudou minha vida, e para  muito melhor.

Através dela superei muitos complexos, como: "ah me acho muito feia", "que saco, minhas pernas são uns cambitinhos...rs parecendo maçariquinho na beira da praia", ou aqueles pensamentos de inferioridade tipicamente femininos, sempre olhando as outras mulheres que participavam comigo na sala de aula, aprendendo Dança do Ventre, como sendo mais bonitas, mais mulherões, mais corpo violão.... MiMiMi...

O que tenho a dizer depois de 11 anos pois, foi em 2001 que tive contato com a Dança do Ventre, é: Que bom, que ótimo que ela existe.

Meninas, se alguma de voces está pensando em entrar em forma mas não querem pegar pesos na academia, nem ficar andando na esteira sem sair do lugar e, ainda de quebra ter contato com outras culturas, outras pessoas, e o mais importante: TER CONTATO CONSIGO MESMA. Se joga no mundo dos ritmos, dos shimies, dos oitos, dos redondos, dos tremidos.

Esta foto me lembra muita coisa boa mesmo! Foi tirada em 2002, quando terminamos o Nível Intermediário, aí estão reunidas 2 turmas, as do Nível Intermediário e as meninas sentadas a frente, que eram juvenis, estavam iniciando... Mundo de sonhos,...

Das quais eu lembro os nomes são: Divani, Monalisa, Edissandra, Cristiane, as outras infelizmente eu não lembro o nome mesmo, pois eram de outra turma, que nesta confraternização nossa professora reuniu.

O nome da criatura que nos trouxe este mundo encantado é, Serina Raruá, ou simplesmente Nilza seu nome verdadeiro, infelizmente não tenho mais notícias dela, só sei dizer que ela era de Goiânia e passou uma breve temporada em nossa Palmas.

Tenho que citar, é lógico, Sônia Cristina e Ana Célia, que é minha irmã, e Luani que neste dia não participou das apresentações, nós resolvemos aprender Dança do Ventre para melhorar nossa postura em palco, melhorar nossa desenvultura pois, já tínhamos um grupo amador de dança o Grupo Folclórico Paracantins, o qual escreverei muito em breve em outra postagem.

Bom, meu povo, por enquanto é isso aí. Não sou tão boa nas palavras, muito embora seja uma tagarela ou bocão da Royal como diz minha amiga Fernanda ;)

Fico por aqui, e por último deixo uma pergunta para as minhas queridas que possivelmente venham me visitar aqui no meu cantinho. Quem está afim de voltar a sacodir os quadris? ;) Eu estou voltando, rs, ainda que solitária.

Abraços Fraternos.








domingo, 18 de março de 2012

Receita de Hoje - LASANHA FAMÍLIA



Olá, boa noite.
Este meu diário que está abandonado faz tempo...tadinho, hoje será contemplado com uma novidade saborosa. LASANHA.... nhannhannnhan... Fizemos hoje aqui em casa, eu e meu maridão.
Dele voces irão ver somente as mãos nas fotos... =)

Bom eu editei a receita e vou colocar aqui, espero que possam fazer esta lasanha também no aconchego da família. É muito gostoso sabiam? Produzir junto com os familiares.
Fotos aqui: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=2514481640901&set=a.2514476840781.91955.1819007555&type=3&theater

LASANHA FAMÍLIA

Ingredientes:

Molho Branco:

2 caixas de creme de leite leve;

Purê de 3 batatas médias.

¼ de cebola picadinha;

1 alho pilado com sal;

1 pitadinha de sal;

1 xícara de água;

2 colheres de sopa de óleo de soja (ou outro de sua preferência)

Molho Vermelho (bolonhesa):

½ quilo de carne magra moída;

1 copo americano de água;

1 colher de café de orégano seco;

2 colheres de sopa de óleo de soja (ou outro de sua preferência);

¼ de cebola picada;

1 alho pilado com sal;

½ sache de sazòn vermelho;

½ sache de sazon verde;

1 pacote de massa para lasanha;

2 pacote de molho de tomate tradicional Fugini;

400 g de queijo mussarela fatiado;

200 g de presunto fatiado.

Modo de Preparo:

Molho branco:

Ferver 3 batatas médias adicionando uma pitadinha de sal, até ficarem bem macias. Depois de cozidas descascá-las e amassar bem. Reserve.

Em uma panela refogue a cebola picadinha com duas colheres de óleo de sua preferência, depois de macias acrescente o alho pilado com sal. Despeje o conteúdo das 2 caixas de creme de leite leve e acrescente a xícara de água, deixe ferver mas não deixe engrossar o molho, se necessário acrescente mais um pouco de água. Agregue a este molho o purê de batata e depois de bem misturado desligue o fogo e reserve.

Molho vermelho (bolonhesa)

Refogue a cebola picadinha em óleo, depois de macias acrescente o alho pilado com sal. Incorpore a carne magra moída, acrescente o sazón e o orégano, tampe a panela e deixe chegar até o ponto de início de refogado (ou como dizemos no Pará, quando estiver estrugindo), destampe a panela e você vai observar que neste momento a água da carne já se evaporou, então com o auxílio de uma colher vá mexendo até que comece a dourar o fundo da panela, este “grudadinho gostoso” é que dá um sabor especial a carne moída. Quando começar a ficar douradinha coloque meio copo americano de água, e tampe a panela novamente. Após baixar este molho, você já pode jogar na panela o molho de tomate e a outra metade do copo de água. Deixe levantar a fervura e desligue.

Atenção: não deixe reduzir muito os molhos, eles precisam estar um pouco líquidos para que a massa da lasanha cozinhe bem.

Montagem da lasanha:

Em um refratário ou em uma forma de alumínio (pode ser antiaderente) grande disponha o molho vermelho no fundo, coloque as folhas de massa, mas sempre deixando um espaço entre elas, para que possam crescer no processo de cozimento. Em cima das folhas coloque um pouco do molho branco, mas não muito, o queijo e o presunto. Então mais uma camada de molho vermelho e novamente as folhas de massa, em cima das folhas o molho branco e assim até completar 3 camadas. Por último disponha fatias de queijo e por cima o restante do molho branco. Cubra a forma com papel alumínio e leve ao forno pré-aquecido a 180º, e deixe assar por 10 minutos. Passados os 10 minutos, retire o papel alumínio e deixe mais 5 minutos no forno para gratinar.

Pronto agora é juntar a família e saborear.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Oração aos Anjos da força e da energia

Amados Anjos da força e da energia atuem aqui e agora. Cubram o meu ser com vossos poderes, equilibrando-me e ampliando minha consciência com energias de perseverança, disposição e constância.

Peço a vós Anjos de Luz para que ativem todas as energias internas que me possibilitam ser mais organizado, constante e disciplinado.

Amém…

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Agradecendo a você!



Meu amigo, que sempre está ao meu lado desde que eu nasci, te dedico a oração contida no Evangelho Segundo o Espiritismo.

Espíritos esclarecidos e benevolentes, mensageiros
de Deus, que tendes por missão assistir os homens e
conduzi-los pelo bom caminho, sustentai-me nas provas
desta vida; dai-me a força de suportá-las sem queixumes;
livrai-me dos maus pensamentos e fazei que eu não dê entrada
a nenhum mau Espírito que queira induzir-me ao
mal. Esclarecei a minha consciência com relação aos meus
defeitos e tirai-me de sobre os olhos o véu do orgulho, capaz
de impedir que eu os perceba e os confesse a mim
mesmo.
A ti, sobretudo, N..., meu anjo guardião, que mais
particularmente velas por mim, e a todos vós, Espíritos protetores,
que por mim vos interessais, peço fazerdes que me
torne digno da vossa proteção. Conheceis as minhas necessidades;
sejam elas atendidas, segundo a vontade de
Deus.
Imagem fonte: Senda de Luz

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Detalhes do cafofo - pia





Pois é gente, como falei antes decidi caprichar na casa, eu andava muito largadona, pois trabalhando fora não tinha ânimo para mexer nas coisas. Mas vamos lá, escorredor de talheres de plástico organizando a pia.
Filtro de água com instalação made in João Carlos, ele aproveitou o ponto de água para filtro de água e fez uma ganbiarra que deu muito certo, daí coloquei o galão de água mineral do lado, eu dou água mineral para os meninos.

Detalhes do cafofo - cozinha



Ainda na cozinha, os detalhes especiais:

Chaleira vermelha, ela é meu xodó, eu ganhei de mamis junto com 2 panelas de esmalte da mesma cor, eu adoro este jogo.


Jogo de porcelana, apesar da tampa de um deles ter sido quebrada pelo João Vitor, enquanto jogava bola na cosinha, ainda é muito fofo o joguinho, ele foi doação de mamis também, alías como quase tudo de utilidades domésticas que tenho...rs.

2012



É mais um ano de buscas, realizações, felicidade, amor, paz, sucesso... eu desejo a todos do Universo!

Meu cantinho encantado.



Olá, este ano decidi colocar meu toque feminino e pessoal no "cafofo do obama" no lar doce lar! Então comecei dando uns toques simples porém, especiais na cozinha. Na realidade, não investi dim dim em nada novo, apenas desencalhei coisas guardadas no armário para ir dando uma cara de que existe uma dona de casa na ativa... sou meio sem jeito com essas coisas, estou me aprimorando.
O 1º ponto que estou dando atenção é no bufe. Este eu ganhei de minha mãe, quando juntei os trapinhos com meu digníssimo.
Gentem, este armário ela comprou por voltao do ano 1992 acho.... caracá já tem 20 anos, e já aguentou uma mudança interestadual...rs e chegou intacto em Palmas, em 1997.

A pedra de mármore veio de brinde para mim, minha mãe mandou fazer na época para ser tampo do bufe. Eu acho ela o máximo.
Este armário acredito que vai durar muito ainda. Estou querendo dar uma cara nova a ele pois, já apresenta umas ações do tempo, por exemplo as lâminas de madeira já estão danificando sabe. Eu não gostaria de me desfazer dele... mas quando ele se desmantelar de vez ainda me restará a pedra de mármore, que nos servirá de uma excelente bancada de cozinha.
Mas estou procurando sugestões sobre como customizar o bichinho, alguém aí me sugere algo?

Caminho, Verdade e Vida

Caminho, Verdade e Vida
Nossa Luz

Música Oriental