Categorias

sábado, 28 de agosto de 2010

Anamaya


Depois de 2 meses praticamente, volto a postar, minha filha nasceu em 04/07/2010, com 52 cm, pesando 3.940 kg. Saudável e linda!

segunda-feira, 7 de junho de 2010


Hoje 07/06 só mais esta semana de trabalho... coisa boa. E a barriga só crescendo.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

PRINCESA DO SOL


Estou no 8º mês de gravidez, só aguardando a chegada da minha Princesa do Sol - ANAMAYA, a previsão do parto é 13/07 mas acho que ela vai nascer antes.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Fernando Pessoa

Não sei quantas almas tenho
Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,
Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.
Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que sogue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo: "Fui eu ?"
Deus sabe, porque o escreveu.

segunda-feira, 19 de abril de 2010


AMOR AOS DESAFETOS

O amor resume toda a Doutrina do Mestre Jesus.

Em resposta à pergunta dos fariseus, sobre qual era o maior mandamento, ensinou que o amor a Deus e ao próximo como a nós mesmos resumia toda a Lei.

Mas quem será o próximo? Será apenas aquele que nos ama?

Em outra passagem do Evangelho, o Rabi nos recomenda que amemos nossos inimigos, que façamos o bem a quem nos odeia e que oremos pelos que nos perseguem e caluniam.

O Mestre nos fala que nenhum mérito teremos em amar somente quem nos ama ou fazermos o bem somente a quem nos faz o bem.

Amar quem nos ama, quem nos trata bem, quem para nós só tem pensamentos bons não nos exige qualquer esforço, é natural de nossa parte. Sorrir a quem nos sorri, ser amável a quem é amável para conosco é fácil.

O que ocorre, no entanto, é que costumamos amar somente quem tem atitudes amáveis para conosco.

Poucos agimos com amor para com aqueles que não conseguem nos amar.

A ideia de amar quem nos prejudica, quem para nós só tem pensamentos negativos, pode nos parecer um tanto absurda.

No entanto, é preciso entendamos o que o Mestre nos quis transmitir.

Ele não quis nos dizer que tenhamos para com nosso inimigo a ternura que dispensamos aos nossos amigos e irmãos, pois a ternura pressupõe confiança.

Não se tem confiança verdadeira em quem nos dirige pensamentos negativos, pois os pensamentos criam uma corrente de fluidos e, se esses são impregnados negativamente, não há como inspirar bons sentimentos.

Mas não devemos, em troca, emitir o mesmo padrão de pensamentos. Ou ter o mesmo tipo de atitudes de quem nos prejudica, pois assim nos igualamos a eles.

Amar os inimigos não é, portanto, ter para com eles uma afeição que não é compatível com os sentimentos negativos que deles emanam e aos quais não somos indiferentes. Mas é não guardar ódio ou rancor ou desejo de vingança.

Amar os inimigos é perdoar-lhes, sem pensamento oculto e sem quaisquer condições impostas, o mal que nos tenham causado.

É não opor nenhuma restrição à reconciliação com eles, é desejar-lhes o bem e não o mal, é experimentar alegria com o bem que lhes aconteça, é ajudá-los, se possível.

É, por fim, jamais emitir pensamentos ruins e, muito menos ter atitudes negativas para com eles, abstendo-se por palavras ou por atos, de tudo aquilo que os possa prejudicar.

Como Jesus nos recomendou, é oferecer a outra face, a face da benevolência e do perdão, frente alguma agressão moral, física ou material.

É agir com caridade, pois, se amar o próximo constitui o princípio da caridade, amar os inimigos é a mais sublime aplicação deste princípio, e tal virtude representa uma das maiores vitórias contra o egoísmo e o orgulho.

Redação do Momento Espírita com base nos cap.
XI e XII do livro O Evangelho Segundo o Espiritismo,
de Allan Kardec, ed. Feb.
Em 09.04.2010.

sexta-feira, 26 de março de 2010

O sofrimento provém de várias causas e circunstâncias. Mas a razão primordial de nossa dor e de nosso sofrimento está na indisciplina e ignorância de nossa própria mente. A felicidade que buscamos só pode ser alcançada através da purificação de nossas mentes.

Dalai-Lama

segunda-feira, 1 de março de 2010

Olá, Pessoal
Abaixo algumas coisas que estão acontecendo ou irão acontecer ao longo deste ano.
1) Dia 2 de abril - 6ª feira - 20 horas - preces e vibração coletivas em todos os núcleos espíritas, lembrando nosso querido Chico Xavier, seus exemplos de amor ao próximo e pela Paz em nosso planeta.
2) Dia 11 de abril - domingo- 9 às 12 h - em comemoração aos 100 anos de nascimento do médium Chico Xavier, haverá um evento aberto à máxima participação popular, a ser realizado em São Paulo, no Parque Ibirapuera e em diversas regiões de São Paulo, simultaneamente.
Programação - 1 hora de apresentações artísticas, palestras curtas e depoimentos ligados ao testemunho de abnegação e dedicação do querido Chico e finalização nos últimos 15 minutos com uma vibração pela paz mundial.
Várias cidades irão também promover seus eventos, entre elas, São Paulo, Araçatuba, Bauru, Sorocaba, Ribeirão Preto e São José dos Campos.
3) LIVRO ESPÍRITA NA TV
O livro espírita “A Proposta do Coronel”, do autor Ariovaldo César Junior, foi anunciado pelo apresentador Ronnie Von no Programa Todo Seu – TV Gazeta, no período de 19 até 28 de janeiro de 2010, diariamente a partir das 22h15min.
Na página da internet www.tvgazeta.com.br/todoseu, há um espaço para sugestões de temas para o programa.
Participe e dê sua sugestão para que outros temas espíritas sejam abordados no programa.
É mais uma oportunidade para vermos o Espiritismo ser divulgado nos meios não-espíritas.
4) NOVELA ESPÍRITA NA GLOBO
A Doutrina Espírita será tema da próxima novela das seis na Globo. Elizabeth Jhin é autora da novela "ALÉM DA VIDA”, que terá como protagonista o ator Humberto Martins, um pai atormentado pelo espírito desencarnado do filho (Jayme Matarazzo Filho) morto em um acidente e que volta do umbral para atrapalhar a vida amorosa do pai que se apaixonará perdidamente por sua ex-namorada (Nathália Dill).
O tema será a obsessão e a lei de causa e efeito.
A novela começará a ser apresentada em abril/2010.
Tanto a autora, como os três atores principais estão estudando as obras do espírito André Luiz para poderem compor a trama e os personagens.
Uma área enorme do Projac foi reservada para ambientar o umbral. Um campo de golfe próximo ao jardim Botânico será usado para as cenas que se passarão na colônia Nosso Lar.

Segundo a autora a novela trará um diferencial; será colocada uma mulher como chefe do umbral. A atriz Joana Fomm está sendo sondada para viver um espírito maligno que comanda boa parte do umbral, para onde o rapaz será levado após a morte. Ela o incentivará a se vingar.
Qual a contribuição de uma novela da rede globo para a divulgação da Doutrina Espírita, para quem não conhece nada sobre o Espiritismo? E N O R M E !!!!!!
5) HISTÓRIA EM QUADRINHOS SOBRE REENCARNAÇÃO
Maurício de Sousa tem abordado o tema reencarnação nos quadrinhos da Turma da Mônica.
Dessa forma as crianças vão se familiarizando, naturalmente, com temas como reencarnação.

6) FILME NOSSO LAR NOS CINEMAS
Na esteira do sucesso de "Bezerra de Menezes", o novo roteiro de temática espírita deve ser o longa-metragem Nosso Lar, baseado na obra de Chico Xavier, pelo espírito André Luiz. O projeto é da Federação Espírita Brasileira (FEB) e da Cinética Filmes.
O roteiro é baseado no livro "Nosso Lar", primeiro romance trazido pelo médium mineiro Chico Xavier, da série em parceria com o espírito do médico André Luiz. Narra sua trajetória depois de desencarnar, passando pela cidade espiritual que dá nome ao livro, até retornar à Terra para rever seus familiares. Em essência, "é a história de um homem que vai aprender a amar a si e aos semelhantes - e a Deus sobre todas as coisas".
Publicado inicialmente em 1944, o livro encontra-se em sua 58ª edição e, em breve, alcançará a marca de dois milhões de exemplares vendidos.
" O público vai se sentir muito honrado de ser um adepto do Espiritismo e vai gostar de ver um filme de grande impulso para a difusãp da Doutrina Espírita" - frase de Renato Prieto, publicada na Folha Espírita de fevereiro/2010.
O filme será lançado em 2010.
Nosso Lar nos CINEMAS!!!!!

7) FILME CHICO XAVIER NOS CINEMAS
Em 02/04/2010 estreará, nos cinemas, Chico Xavier, o filme.
Sobre a vida de Chico Xavier . Produzido pela Globo Filmes e Estação da Luz;
Com direção de Daniel Filho;
Distribuído pela Columbia/Sony Pictures;
Com música de Egberto Gismonti e Olívia Byngton;

Participarão do elenco:
Nelson Xavier: Chico Xavier (1969/1975)
Ângelo Antônio: Chico Xavier (1931/1959)
Matheus Costa: Chico Xavier (1918/1922)
Tony Ramos: Orlando
Christiane Torloni: Glória
Giulia Gam: Rita
Letícia Sabatella: Maria
Giovanna Antonelli: Cidália
Paulo Goulart: Saulo Gomes
Cássia Kiss: Iara
Cássio Gabus Mendes: Padre Júlio Maria
Rosi Campos: Cleide
Ana Rosa: Carmem
Chico Xavier nos CINEMAS!!!!!!! e com esse elenco e essa direção!
8) Documentário "AS CARTAS" - dirigido por Cristina Grumbach
Previsto para lançamento no primeiro semestre de 2010, o filme conta a história de pessoas que receberam cartas psicografadas por Chico Xavier, principalmente mães que tiveram filhos desencarnados precocemente.
O filme mostra o cenário religioso-cultural brasileiro a partir de contatos com o além.
* Reportagem completa sobre os filmes "Nosso Lar, Chico Xavier e As Cartas', foi publicada na Folha Espírita, pag. 8, fevereiro de 2010.
9) PROGRAMA TRANSIÇÃO NA REDE TV – CANAL ABERTO
Programa Espírita, semanal, vai ao ar todos os domingos na REDE TV ás 15:15 horas.
Programa Espírita em CANAL ABERTO de televisão!!!!!
10) SELO COMEMORATIVO AO CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE CHICO XAVIER.

A Comissão Filatélica Nacional, órgão pertencente aos Correios que analisa os motivos dos selos, aprovou o pedido de homenagear com selo comemorativo o centenário do nascimento do médium Francisco Cândido da Silva Xavier, o Chico Xavier.
Chico nasceu em 02/04/1910 na cidade de Pedro Leopoldo (MG)
A Efígie do Chico estará circulando em milhares de correspondências!

11) Quem quiser ver a história em quadrinhos completa:
http://www.monica..com.br/comics/reencarnacao/welcome.htm
Trailer do filme Chico Xavier:
http://www.youtube..com/watch?v=UFB9jF7s8dY
Todos os Programas Transição já exibidos:
http://www.programatransicao.tv.br/
Como os amigos podem ver, muitas coisas estão acontecendo ou acontecerão FORA do meio Espírita, por iniciativa de Espíritas ou não, mas que com certeza auxiliarão muito na divulgação do ESPIRITISMO.
Que cada um de nós, no seu possível, aproveite que o interesse da população será despertado e utilize todas as oportunidades possíveis para colaborar na divulgação da nossa querida DOUTRINA, seja promovendo eventos, preferencialmente fora das casas espíritas, para que esse público compareça com mais facilidade ou convidando amigos e parentes a participar desses eventos.
Convidando amigos a assistir uma palestra e conhecer o Centro Espírita, indicando a leitura de um bom livro, enfim realmente aproveitando as oportunidades que aparecerem.
Lembrando que o objetivo não é tornar ninguém Espírita, mas divulgar as idéias Espíritas, respeitando as convicções religiosas de cada um. Afinal somos todos irmãos, filhos de um mesmo Pai, independente do nome que lhe atribuímos e da religião que adotamos.
Mãos a obra! Jesus nos abençoa e protege! Um Abraço fraterno
Edson do C. E. Semeadura de Jesus, em Guarulhos (SP),
DIVULGUEM!!!

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Os Filhos


Os Filhos
Khalil Gibran
(Do Livro "O Profeta")
Uma mulher que carregava o filho nos braços disse: "Fala-nos dos filhos."
E ele falou:
Vossos filhos não são vossos filhos.
São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma.
Vêm através de vós, mas não de vós.
E embora vivam convosco, não vos pertencem.
Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos,
Porque eles têm seus próprios pensamentos.
Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas;
Pois suas almas moram na mansão do amanhã,
Que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.
Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós,
Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados.
Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas.
O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a sua força
Para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe.
Que vosso encurvamento na mão do arqueiro seja vossa alegria:
Pois assim como ele ama a flecha que voa,
Ama também o arco que permanece estável.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Breve histórico da Dança do Ventre


Olá, venho trazer um assunto de que me agrada muitíssimo - Dança - mais em especial a Dança do Ventre, bom, eu tive o 1º contato com esta arte em 2000, fiz aulas por 2 anos mais ou menos. De lá pra cá, já se vão 10 anos, meu Deus, o tempo corre, rs. Bem, logo que comecei a praticar me interessei em saber de onde vinha aquela dança que transforma o corpo e a alma da mulher. Li muito, comprei muitos cd´s, pesquisei na internt, ganhei e comprei vídeo-aulas. E virei fã incondicional da dança. É certo que já há alguns anos deixei ela de lado, por conta dos afazeres do dia como mãe. Mas meu coração sempre bate acelerado quando ouço a música oriental para dança do ventre, ou quando assisto vídeos das grandes bailarinas.
Trago aqui um pequeno texto que achei no site da Lulu Sabongi, um pequeno esboço do histórico da Dança do Ventre.
Breve histórico sobre a Dança do Ventre

A forma de dança chamada em árabe de "Raqs Sharqui" (dança do oriente) existe provavelmente há milhares de anos. Há muitas teorias sobre suas origens, uma das quais a,que tem suas raízes na India e que de lá foi difundida pelos ciganos que a divulgaram no Ocidente.
Outros dizem que ela nasceu no Antigo Egito, e querem traçar no passado sua origem de acordo com antigas danças rituais da Idade da Pedra, nas religiões que cultivavam a grande Deusa.
Também se acredita que a dança existiu como forma de arte nas cortes tanto sob o Império Romano quanto mais tarde no Império Otomano (Turquia). Durante esta época, imagina-se que a dança possa ter se espalhado por todo o mundo árabe.

Infelizmente não há documentos suficientes que comprovem a dança até o século XX e a documentação existente é difícil de interpretar, pois dança é uma arte visual e o que se tem é a visão subjetiva do expectador que a assiste. De qualquer forma, uma pequena estatueta do século II d.C. mostra uma dançarina em pose típica de dança oriental, tocando instrumentos antecessores dos "snujs" que a bailarina toca hoje em dia.
A dança é uma parte integrada na música árabe. É difícil acreditar que uma dança que interpreta em tão alto grau cada nuance da musica possa ter mudado tanto, quando você sabe que a música tem fortes raízes que voltam ao passado da cultura árabe. Ambas, música e dança são parte do dia a dia no mundo árabe; pessoas se encontram, tocam e dançam como parte do cotidiano. A dança e a música tradicional são também elementos importantíssimos em ocasiões especiais como casamentos, por exemplo.
A execução da dança e a música tem sido preservadas em alto grau por tribos especiais ou "famílias" extensas que tradicionalmente trabalham com entretenimento como, por exemplo, a "Ouled Nail" na Algeria e a "Ghawazee" no Egito. Elas tem preservado a dança e a música em sua forma original, apesar de termos que contar com uma certa quantidade de mudanças durante tantos séculos. Considerações sobre suas apresentações podem ser encontradas em alguma literatura "Orientalista” do século XIX.

A Dança vem para o Ocidente:

Durante o século XIX, o Oriente estava na moda. Muitos viajavam para os exóticos países e ficavam fascinados pela diversidade cultural encontrada lá. Autores e pintores descreveram seus encontros com bailarinas, que usavam seu corpo de forma a chocar os expectadores ocidentais, educados na era vitoriana. A dança foi vista na Europa pela primeira vez na Mostra Mundial de Paris em 1889; foram trazidos diversos artistas de rua algerianos para se apresentar dentro da mostra. No meio deles havia alguns dançarinos, não como os de hoje, que estavam apropriadamente vestidos com costumes tópicos. Este espetáculo interessou ao "American Sol Bloom", que os levou em outro ano para a Exibição Mundial de Chicado em 1893. Uma dessas dançarinas que veio, ficou na América e mais tarde tornou-se a conhecida dançarina "Little Egypt". O termo em francês "danse du ventre", foi traduzido para dança do ventre, nome pelo qual hoje a dança é conhecida. A dança logo se tornou "burlesca" e ganhou má reputação; até hoje as amantes dessa arte lutam para retirar esse rótulo e colocá-la numa posição privilegiada ao lado de outras formas de arte.

Pelo visto estou no caminho certo...

A Doutrina do Bom-Senso
Bernardino da Silva Moreira
(Publicado no CORREIO FRATERNO DO ABC, Ano XXXIV, Nº 385, Fevereiro de 2003)

A Filosofia Espírita prima sempre pelo equilíbrio, e não pelos extremismos alienantes da rebeldia arrogante, que insulta e violenta a todos com o disparatar do verbalismo inflamado, a incendiar com a discórdia o campo da paz.
O Movimento Espírita Brasileiro está sendo agitado, por abusos cometidos pelos pseudo-sábios espíritas, que disseminam absurdos à mancheias. Os fluidistas são estudiosos da obra de Roustaing e os laicistas adversários dos roustainguistas.
Lamentavelmente com esse bate-boca, Kardec é colocado em segundo plano, ou, o que é pior, esquecido.
Fazer do espiritismo meio de dissensão é, sem dúvida nenhuma, um absurdo dos mais grosseiros. Allan Kardec, o mestre por excelência, mostrou que a educação espírita se faz de forma integral com Jesus, aliás, esse é o pensamento que dá base a toda Doutrina Espírita. Então por que toda essa algaravia em torno de Jesus?
A religião Espírita é natural, está na Natureza, porque é aonde encontramos as leis de Deus, que também está em nossa consciência. Não vai levar a nada os formalismos farasaístas, e nem a indiferença daqueles que propagam um Espiritismo sem Jesus.
Na introdução de “O Evangelho segundo o Espiritismo”, Kardec em suas primeiras palavras, declara com sabedoria:
“Podem dividir-se em cinco partes as matérias nos Evangelhos: os atos comuns da vida do Cristo; os milagres; as predições; as palavras que foram tomadas pela Igreja para fundamento de seus dogmas; e o ENSINO MORAL. As quatro primeiras têm sido objeto de CONTROVÉRSIAS: a última, porém, conservou-se constantemente INATACÁVEL. Diante desse código divino, a própria incredulidade se curva. É terreno onde todos os cultos podem reunir-se, estandarte sobre o qual podem todos colocar-se, quaisquer que sejam suas crenças, porquanto jamais constituiu MATÉRIA DAS DISPUTAS RELIGIOSAS, que sempre e por toda parte se originam das questões dogmáticas. Aliás, se discutissem, nele teriam as seitas encontrado a sua própria CONDENAÇÃO, visto que, na MAIORIA, elas se agarram mais à parte MÍSTICA do que à parte MORAL, QUE EXIGE DE CADA UM A REFORMA DE SI MESMO.”
Sublinhamos algumas palavras que, é bem possível, tenham passado despercebidas daqueles que pretendem, fazer da Doutrina Espírita, um angu de caroço.
Nem oito, nem oitenta, o Espiritismo deve ser o fiel da balança das leis morais e deixar as carolices ou impertinências dos ideólogos quixotescos que pensam revolucionar o mundo, no disparatar acidulante da verborragia desvairada no matraquear desnecessário dos propagadores da discórdia.
Vamos botar a mão na consciência e lembrar que as leis de Deus, estão escritas em nossa consciência e não esquecer, que Jesus continua senso “o tipo mais perfeito” que ele é para toda humanidade, o guia e modelo que todos devemos seguir.
E para encerrar:
“Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar suas inclinações más.”

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Orar e Vigiar


Me sinto no dever de colocar aqui uma postagem muito importante, do meu ponto de vista. Assim não haverá mais dúvidas quanto a minha abordagem sobre o tema Espiritismo. Deixo bem claro que tudo o que eu for postar sobre o tema será sob o crivo do bom senso, sempre balizado pelas obras básicas.
É claro, que em todo movimento seja político, científico ou religioso há sempre os que andam na contra-mão, ou que se desviam do foco principal colocando assim nas rodas de discussão do movimento a "pimenta" da polêmica ou o "machado" do fundamentalismo. Ao mesmo tempo que discussões servem para trazer a tona a busca por conhecimento, infelizmente acabam também, por provocar rachaduras e intolerâncias de toda sorte.
Amigos, quando estiverem estudando Espiritismo lembrem-se que há muita diferença entre o que é Doutrina Espírita e o que é Movimento Espírita. Isso eu aprendi estudando no ESDE da Federação Espírita Tocantinense, foi lá que (retomei) minha jornada no estudo, sim, pois acredito que eu já trazia a sementinha da Doutrina no meu íntimo quando nasci.
O movimento é praticado pelo homem, e o homem é passível de falhas. Já a Doutrina tem suas bases fundamentadas nas Leis Divinas.
Orar e Vigiar já dizia Jesus.

Aos anjos guardiães e aos Espíritos protetores


O Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo XXVIII.

11. PREFÁCIO. Todos temos, ligado a nós, desde o nosso nascimento, um Espírito bom, que nos tomou sob a sua proteção. Desempenha, junto de nós, a missão de um pai para com seu filho: a de nos conduzir pelo caminho do bem e do progresso, através das provações da vida. Sente-se feliz, quando correspondemos à sua solicitude; sofre, quando nos vê sucumbir.
Seu nome pouco importa, pois bem pode dar-se que não tenha nome conhecido na Terra. Invocamo-lo, então, como nosso anjo guardião, nosso bom gênio. Podemos mesmo invocá-lo sob o nome de qualquer Espírito superior, que mais viva e particular simpatia nos inspire.
Além do Anjo guardião, que é sempre um Espírito superior, temos Espíritos protetores que, embora menos elevados, não são menos bons e magnânimos. Contamo-los entre amigos, ou parentes, ou, até, entre pessoas que não conhecemos na existência atual. Eles nos assistem com seus conselhos e, não raro, intervindo nos atos da nossa vida.
Espíritos simpáticos são os que se nos ligam por uma certa analogia de gostos e pendores. Podem ser bons ou maus, conforme a natureza das inclinações nossas que os atraiam.
Os Espíritos sedutores se esforçam por nos afastar das veredas do bem, sugerindo-nos maus pensamentos. Aproveitam-se de todas as nossas fraquezas, como de outras tantas portas abertas, que lhes facultam acesso à nossa alma. Alguns há que se nos aferram, como a uma presa, mas que se afastam, em se reconhecendo impotentes para lutar contra a nossa vontade.
Deus, em o nosso anjo guardião, nos deu um guia principal e superior e, nos Espíritos protetores e familiares, guias secundários. Fora erro, porém, acreditarmos que forçosamente, temos um mau gênio ao nosso lado, para contrabalançar as boas influências que sobre nós se exerçam. Os maus Espíritos acorrem voluntariamente, desde que achem meio de assumir predomínio sobre nós, ou pela nossa fraqueza, ou pela negligência que ponhamos em seguir as inspirações dos bons Espíritos. Somos nós, portanto, que os atraímos. Resulta desse fato que jamais nos encontramos privados da assistência dos bons Espíritos e que de nós depende o afastamento dos maus. Sendo, por suas imperfeições, a causa primária das misérias que o afligem, o homem é, as mais das vezes, o seu próprio mau gênio. (Cap. V, nº 4.)

A prece aos anjos guardiães e aos Espíritos protetores deve ter por objeto solicitar-lhes a intercessão junto de Deus, pedir-lhes a força de resistir às más sugestões e que nos assistam nas contingências da vida.
12. Prece. - Espíritos esclarecidos e benevolentes, mensageiros de Deus, que tendes por missão assistir os homens e conduzi-los pelo bom caminho, sustentai-me nas provas desta vida; dai-me a força de suportá-la sem queixumes; livrai-me dos maus pensamentos e fazei que eu não dê entrada a nenhum mau Espírito que queira induzir-me ao mal. Esclarecei a minha consciência com relação aos meus defeitos e tirai-me de sobre os olhos o véu do orgulho, capaz de impedir que eu os perceba e os confesse a mim mesmo.
A ti sobretudo, N..., meu anjo guardião, que mais particularmente velas por mim, e a todos vós, Espíritos protetores, que por mim vos interessais, peço fazerdes que me torne digno da vossa proteção. Conheceis as minhas necessidades; sejam elas atendidas, segundo a vontade de Deus.
13. (Outra) - Meu Deus, permite que os bons Espíritos que me cercam venham em meu auxílio, quando me achar em sofrimento, e que me sustentem se desfalecer. Faze, Senhor, que eles me incutam fé, esperança e caridade; que sejam para mim um amparo, uma inspiração e um testemunho da tua misericórdia. Faze, enfim, que neles encontre eu a força que me falta nas provas da vida e, para resistir às inspirações do mal, a fé que salva e o amor que consola.
14. (Outra) - Espíritos bem-amados, anjos guardiães que, com a permissão de Deus, pela sua infinita misericórdia, velais sobre os homens, sede nossos protetores nas provas da vida terrena. Dai-nos força, coragem e resignação; inspirai-nos tudo o que é bom, detende-nos no declive do mal; que a vossa bondosa influência nos penetre a alma; fazei sintamos que um amigo devotado está ao nosso lado, que vê os nossos sofrimentos e partilha das nossas alegrias.
E tu, meu bom anjo, não me abandones. Necessito de toda a tua proteção, para suportar com fé e amor as provas que praza a Deus enviar-me.

Conheçam nosso Brasil: Alter-do-Chão / PA


Alter-do-Chão é uma vila do município de Santarém, Estado do Pará, sendo um balneário muito procurado por turistas que visitam a Amazônia brasileira. Assim como outros lugares do Estado, deve seu nome a uma vila portuguesa chamada Alter do Chão.
Alter-do-Chão foi formada a partir de uma aldeia de pescadores situada a 30 quilômetros de Santarém, a vila de Alter do Chão, antiga aldeia dos índios Boraris, oferece um cenário magnífico de praias, de águas límpidas e transparentes, além de outros atrativos turísticos como a festa do Sairé no mês de setembro. A vila é banhada pelo rio Tapajós que é formado por águas claras e areia fina nas margens, compondo paisagens belíssimas. Quando as águas do rio baixam surge uma faixa de terra no rio, formando uma barra, que os santarenos chamam de ilha. Nesta "ilha" montam-se vários bares para servir os turistas, que atravessam o rio por meio de pequenas canoas, conhecidas por catraias. O nascer e o pôr-do-sol são magníficos espetáculos da natureza em Alter-do-Chão.
Nos meses que vão de março até agosto, algumas praias chegam a desaparecer, por causa da cheia dos rios, mas no resto do ano, ressurgem com areias brancas e finíssimas, algumas de fácil acesso, outras completamente isoladas. Devido a esse período de chuvas, recomenda-se pesquisar antes de se fazer turismo nessa época do ano.

Festa do Çairé ou Sairé

A palavra Çairé origina-se dos dois termos Çai Erê, que significa “Salve! Tu o dizes”, que era usada pelos índios como forma de saudação. Entretanto, segundo Sr. Jefferson Cardoso, conhecedor dessa história, há uma controvérsia quanto a grafia da palavra Çairé. Segundo ele, a palavra original era Sairé, mas a comunidade de Alter-do-Chão, achou por bem, ou talvez por associarem sua derivação à linguagem indígena, passaram denominar a festa com uma nova escrita: Çairé. Entretanto, como se pode constatar não há na língua portuguesa nenhuma palavra que se inicie com "ç" e segundo seu Jefferson, houve uma nova discussão sobre o assunto e por consenso, voltou-se a chamar a festa por seu nome original.
Originariamente, a Festa do Çairé era um baile indígena (puracê), cujos festejos, revelavam desde o primeiro século da colonização, já a influência das missões católicas. Era uma "corda em giro", ou melhor, uma espécie de dança de roda conduzida por um "arco", que era o motivo indígena desse préstito e festival, o centro geométrico de um animado puracê (baile). Tal arco era um semicírculo com diâmetro e raios todos assinalados em algodão, onde deles pendem fitas vermelhas. Era ornamentado ainda, com uma cruz forrada e enfeitada, revelando o símbolo católico que o jesuíta acrescentou ao outro símbolo pagão o qual, pela forma geométrica revelada, denotava sua origem em povos americanos de civilização mais avançada, quais os astecas e os incas. É um exemplo de como foi o missionário mestiçando a fé católica, através da dança e do canto, para catequizar o índio e dominá-lo por fim. Transformou-se, portanto, em uma cerimônia religiosa e profana, onde entram nela a reza e a dança. Essa consistia em passos curtos, como o de marcar passos dos soldados, com um movimento em que uma índia do centro servia de eixo sobre o qual girava o Çairé.
Atualmente a festa do Çairé ocorre no mês de setembro, durando cerca de cinco dias. Nesta festa ocorre a Disputa dos Botos Tucuxi e Cor-de-rosa.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Livro que estou lendo


Oi amigos, estou lendo o livro Nosso Lar, ditado por André Luiz ao médium Chico Xavier.

Neste livro André Luiz relata os momentos que passou no Umbral, e depois sua passagem por Nosso Lar, nos conta detalhes do mundo espiritual e compartilha ensinamentos preciosos para que possamos melhorar nosso relacionamento interior e com nossos semelhantes. Um livro que desde o seu lançamento causa polêmica mas, não deixar de ser uma obra paralela ao Pentateuco Espírita que merece ser lido e meditado.

E está previsto para setembro deste ano a estréia do Filme Nosso Lar, visitem o site www.nossolarofilme.com.br e também no facebook http://www.facebook.com/pages/Nosso-Lar-O-Filme-Oficial/281241464902

Informações básicas

Data de Lançamento:03/09/2010
Gênero: drama
Estúdio: Cinética Filmes e Produções com distribuição Fox Filmes do Brasil - Apoio Federação Espírita Brasileira
Informações detalhadas


Website: http://www.nossolarofilme.com.br
Estrelando: Renato Prieto como André Luiz, Paulo Goulart, Othon Bastos, Ana Rosa, Werner Schunemann, Rosane Mulholand, Fernando Alvez Pinto, Rodrigo dos Santos, Nicola Siri, Helena Varvaki, Clemente Viscaíno, Lisa Fávero, César Cardadeiro, Aracy Cardoso.
Roteiro por: Wagner de Assis
Realizado por: Wagner de Assis
Produzido por: Iafa Britz
Prêmios: Produtor Executivo Luiz Augusto de Queiroz
Produtora Executiva Elizabeth Marinho Dias
co-produtor executivo Luiz Claudio Barbosa
produtor associado USA Harold Apter
Resumo do Enredo: A trajetória de um médico pelo mundo espiritual. Baseado no livro homônimo de Chico Xavier.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Crianças Índigo e Cristal


As perguntas e respostas que seguem são extraídas do livro Crianças Índigo e Cristal de Tereza Guerra, onde encontrará toda a informação que necessita para responder a todas as suas questões.
· O que é uma criança Índigo?
o As crianças índigo possuem uma estrutura cerebral capaz de utilizarem simultaneamente as potencialidades do hemisfério direito e do hemisfério esquerdo, isso significa que elas conseguem ir muito mais além do plano racional e intelectual, desenvolvendo capacidades espaciais, intuitivas, criativas e espirituais, por isso elas necessitam também de um ambiente propício para poderem desenvolver todas as suas potencialidades ajudando-nos num futuro próximo a mudar muita coisa que precisa ser mudada no mundo em que vivemos, nomeadamente a diminuir a distância existente entre o pensar e o agir.
o O “fenómeno Índigo” nasceu a partir da cor índigo que aparece associada à mente (chacra frontal) e à espiritualidade (aura de cor índigo). Segundo alguns autores, as crianças índigo estão envolvidas por uma aura azul-índigo! Nancy Ann Tappe, nos anos 80 observou que inúmeras crianças apresentavam esse tipo de aura e tinham características algo semelhantes. Na última década dos anos 90, dois autores norte-americanos Lee Caroll e J. Tober publicaram o primeiro livro sobre “As Crianças Índigo”.
o A partir de então muito se tem falado destas crianças que cada vez em maior número (neste momento 90 % das crianças que nascem já trazem características Índigo, Cristal, Violeta ou outras…) estão a invadir o nosso planeta e apresentam as seguintes características: Inteligentes, sensitivas, intuitivas, com tendência hiperactiva, perceptivas, compreendem facilmente as leis universais, são muito criativas e possuem uma memória privilegiada (por vezes falam de vidas passadas com toda a naturalidade) e são dotadas, como referem alguns autores, de uma espécie de “inteligência espiritual”. Quando o assunto não lhes interessa podem apresentar características de défice de atenção, mas se, pelo contrário, algum tema lhes desperta a atenção, entregam-se apaixonadamente e passam horas atentas e envolvidas em novas descobertas.
o Vários autores referem que podem distinguir-se 4 tipos de crianças índigo: as humanistas (líderes), as conceptuais (cognitivas ou intelectuais), as artistas (portadoras grande sensibilidade e intuição) e as interdimensionais (globalmente sobredotadas mas com potencialidades espirituais invulgares).
· Que características apresentam as Crianças Índigo e as Crianças Cristal?

o

Crianças Índigo
Crianças Cristal
Espírito Guerreiro
que rompe com os sistemas estabelecidos
Espírito Pacificador
Pacificadores
Meta:
Abrir caminhos
Denunciar
Não aceitam o que já não serve agora
Aversão à mentira, falsidade e manipulação
Meta:
Continuar o caminho começado pela geração índigo
Construir com energias mais subtis
Têm uma força interior extraordinária para conseguirem elevar o nível de frequência energético da sociedade
Especialidade:
Denunciar
Provar os limites físicos
Especialidade:
Liberdade através do exemplo
Provar os limites psíquicos
Personalidade:
Em geral são extrovertidos
Pioneiros são originais, auto-suficientes, criativos, bastante autónomos
Determinação, tenacidade
Muita energia e não mostram medo em enfrentar as coisas e as pessoas
Personalidade:
Mais calmos, pacíficos e gentis. No geral um pouco introvertidos
Ainda mais espirituais
Ainda mais telepáticos
Ainda mais sensíveis
Formas de conduta:
São crianças exigentes q não se cansam de pedir coisas
Não tem medo da confrontação
Rebelde
Formas de conduta:
Diz o que precisa em poucas palavras mas com profundidade, e só quando lhe pedem
Irradia paz e tranquilidade
Harmoniza naturalmente a energia que o rodeia
É muito afectuoso com as pessoas e percebe as suas necessidades
Cala-se e retira-se se há conflitos, evita as confrontações
Características físicas e outras
Robustos fisicamente
Fortes mentalmente
Características físicas e outras
Menos robusto física e mentalmente
Vulnerável emocionalmente
Habilidades psíquicas activadas desde o seu nascimento
Por vezes sofre com alergias, é mais delicado
Podem diagnosticar-lhes erradamente:
ADD (Défice de Atenção)
ADDH (Défice de atenção com hiperactividade)
Podem diagnosticar-lhes erradamente:
A doença de Aspergers uma forma ligeira de autismo comum na profissão de programadores, informáticos e engenheiros de sistemas
Autismo
Ser considerado uma criança desconectada, desligada
É precoce em começar a falar
Pode ser que comece a falar tardiamente em geral quando começam a entender que os adultos não entendem a linguagem telepática
Necessidades em geral:
Alimentar os seus talentos de pioneiros e de lideres
Ferramentas de organização do trabalho
Aprender a diplomacia e a cortesia
Necessidades em geral:
Utilizar e nutrir as suas habilidades e os seus talentos de pacificadores
Técnicas de limpeza energética e psíquica sensível
Intercâmbio de energia com a natureza

· Desde quando começaram a aparecer no planeta?
o Não é a primeira vez que o planeta assiste à chegada de consciências que trazem características diferentes do habitual que põem em causa as culturas instaladas. Poderíamos enumerar uma quantidade delas, que desde há muito, vêm surgindo aqui e ali para nos abrirem um pouco a porta do conhecimento, na maior parte das vezes, foram perseguidos, mal entendidos, na época em que viveram, e até, alguns chegaram a ser mortos. Tudo isto só porque apresentaram comportamentos diferentes e formas de pensar que punham em causa as instituições e organizações políticas ou religiosas vigentes. Temos, por exemplo: Pitágoras, Sócrates, Platão, Aristóteles, Jesus Cristo, Leonardo da Vinci, Gandhi, Shweitzer, Einstein e muitos outros....Eles surgiam para ajudarem a que a mudança fosse algo possível de acontecer e com a sua coragem e determinação se abrissem caminhos novos e diferentes. Graças a eles a humanidade foi dando os seus passos no sentido de romper com velhas tradições de pensamento e culturas.
· Como identificar as Crianças Índigo?
o Propomos que façam um pequeno teste às vossas crianças para poderem identificá-las, ou não, como crianças índigo. Este teste (embora com algumas adaptações) é apresentado por Lee Carroll no seu livro As Crianças Índigo.
§ Trata-se de uma criança muito intuitiva (parece adivinhar as coisas) e traz consigo, desde a nascença, uma certa realeza comportando-se como tal?
§ Sentem que merecem estar aqui e admiram-se quando outros não os reconhecem. Revelam-se bastante sensitivos (parecem observar, ver, ouvir e detectar acontecimentos, objectos e situações aparentemente impossíveis)?
§ São muito sensíveis à música, à pintura, às paisagens grandiosas e sublimes, ao belo?
§ Dizem, com naturalidade aos pais quem são e donde vêm e alguma vez referiram ter falado com anjos, Deus, extraterrestres ou outras entidades?
§ Preocupam-se muito com questões humanitárias, a fome, as guerras, os problemas ambientais, com os animais abandonados ou maltratados?
§ Gostam de ver programas sobre História, Religião e Arte na TV ou na Internet?
§ Sentem-se frustrados com sistemas que obedecem a rituais e sem criatividade, apresentam outras formas de fazerem as coisas, tanto em casa como na escola, o que os torna rebeldes ou simplesmente desinteressados?
§ Costumam desenhar figuras exóticas, seres extra-terrestres, figuras estranhas?
§ Apreciam conversar sobre Deus, o princípio do Mundo, a Vida, os OVNIS, etc?
§ Parecem ser anti-sociais, e, por vezes a escola é o local onde lhes é muito difícil socializar. Apreciam a solidão. Gostam de se fechar no quarto para ficar sozinhos?
§ Têm dificuldade em aceitar uma autoridade absoluta. Falam ou escrevem sobre assuntos que parecem não ser para a sua idade e formação?
o Se respondeu SIM a mais de 4 perguntas...esteja mais atento ao seu filho ou educando, porque poderá estar perante uma criança índigo, por isso tente retirar dele mais informações, mas proceda com carinho e amor verdadeiro, porque estas crianças, devido à sua sensibilidade e capacidades extrasensoriais, apercebem-se facilmente das suas intenções, sobretudo se estas não foram para seu bem. Como sabem elas trazem consigo um verdadeiro detector de mentiras e, intuitivamente, lêem os pensamentos das pessoas com quem tratam.
· Qual a educação mais adequada para estas crianças e jovens?
o Em primeiro lugar é fundamental que exista para a criança uma só escola e uma só educação. O complexo processo educativo, para atingir os seus plenos objectivos deve fazer um compromisso com todos os seus intervenientes que em conjunto devem-se envolver em uníssono: pais, professores, alunos. Todos têm que ter consciência de três verdades insofismáveis:
§ O potencial humano é muito superior àquilo que nos convenceram. (Einstein desenvolveu, apenas, entre 5 e 10% das capacidades do seu cérebro....)
§ A educação deve ser adquirida naturalmente e com prazer, porque educar sem prazer é deseducar e é como um dia sem sol.
§ A educação e a aprendizagem são o único motivo que nos trouxe a este planeta, por isso, deve ser feita com esmero.
o Um sistema de educação alternativo e muito conhecido é o da pedagogia Waldorf que explica de uma forma harmoniosa a relação existente entre o processo íntimo do desenvolvimento da criança e do jovem e as modificações sofridas pelo homem em sua evolução histórica, pois ajuda a criança a passar por um processo evolutivo de crescimento, amadurecimento e consciencialização progressivos até atingir a maturidade. Para isso promove um acompanhamento adequado com respeito pela sua individualidade e criatividade, para que floresça e desabroche livremente em todas as suas vertentes.
· Existem no nosso país escolas adequadas a estas crianças?
o Existem muito poucas escolas com pedagogias adequadas e preparadas para promoverem uma educação adequada a estas e muitas outras crianças.
o Em Portugal existem algumas poucas escolas com pedagogia Waldorf mas encontram-se sem vagas.
o Existe ainda uma Escola Montessori para crianças de 1 a 6 anos de idade, contacto 21 456 4733.
· Serás tu um Índigo adulto?
Se quer saber se é um índigo adulto analise as afirmações que se seguem:
São muito criativos ainda que na escola não tenham tirado as melhores notas.
Têm algumas características que fazem parte de crianças índigo.
Apresentam alguns problemas de concentração e atenção (Sintomas de Desordem de falta de Atenção. Podem apresentar problemas para se concentrarem nas suas tarefas. Podem saltar de tema nas conversas (palestras, dissertações, etc.)
Têm uma verdadeira empatia por algumas pessoas e sentem-se bem com pessoas que tenham a sua vibração, mas têm, também, uma profunda intolerância pela estupidez.
São muito intuitivos, muito criativos e desfrutam fazendo coisas, mesmo que espalhem tudo à sua volta como um caos, sentem-se bem assim...mesmo que os outros reclamem da desordem.
É difícil para eles fazerem um trabalho repetitivo e obrigatório e sobretudo na escola recusavam-se a fazê-lo.
Vivem em constante mudança e têm, ainda hoje, problemas com a autoridade. Rejeitam, muitas vezes, a autoridade do professor ou mesmo dos pais quando procuravam impô-la. Questionaram-na e continuam questionando a autoridade.
Aprendem rapidamente e quando acham que já sabem o suficiente aborrecem-se e desinteressam-se pelos assuntos?
Se uma coisa ou um tema lhes interessa põem aí toda a sua atenção e não se importam de estar horas a fazer o mesmo.
Na escola parecia que tinham “picos” e não paravam quietos, quando a matéria não lhes interessava, não lhe servia para nada ou achavam que já sabiam o suficiente sobre o assunto.
Por vezes mostra ser extremamente sensíveis, ou emocionalmente instáveis, chorando ao mínimo motivo (sem protecção). Ou podem mostrar uma certa falta de emoção (protecção completa).
Por vezes revoltam-se com certas coisas ou pessoas, parecendo que têm problemas com a Ira.
Não compreendem e até se revoltam, ou irritam com os chamados sistemas ineficazes que consideram caducos: sistema político, educativo, médico, jurídico, etc.
Sentem uma verdadeira irritação e ira quando privam dos seus direitos e detestam que os observem ou controlem os teus passos, ficam irritados quando alguém está sempre a observá-los e a criticá-los.
Procuram o significado da vida e sentem uma vontade grande de mudar ou até melhorar o mundo aderindo, por vezes, à espiritualidade, a alguma religião ou a grupos ou livros de auto-ajuda.
Tiveram alguma experiência psíquica, premonições (ver anjos, seres extrafísicos, fantasmas...) experiências fora do corpo, ouvir ruídos ou vozes, et
É sensível à electricidade e por vezes os relógios não funcionam, as lâmpadas apagam-se quando passa por baixo deles, os aparelhos eléctricos funcionam mal ou queimam-se fusíveis ou rebentam lâmpadas...
Já, alguma vez, tiveram consciência da existência de outras dimensões, de extraterrestres ou da existência de outras realidades paralelas.
São muito expressivos sexualmente, mas também podem recusar a sexualidade por aborrecimento ou para conseguirem uma ligação espiritual mais elevada. Podem explorar tipos alternativos de sexualidade.
Tiveram poucos ou nenhum exemplo índigo para imitar.
Se conseguem encontrar o seu equilíbrio podem transformar-se em indivíduos muito realizados, fortes, sãos e felizes.

Prece de Cáritas



-->

Prece de Cáritas

DEUS, nosso Pai, que sois todo poder e bondade, dai forca àquele que passa pela provação; dai luz àquele que procura a verdade, pondo no coração do homem a compaixão e a caridade. Deus, dai ao viajor a estrela guia; ao aflito a consolação; ao doente o repouso. Pai, dai ao culpado o arrependimento, ao espírito a verdade, a criança o guia, ao órfão o pai. Senhor, que a vossa bondade se estenda sobre tudo que Criastes. Piedade Senhor, para aqueles que não vos conhecem, esperança para aqueles que sofrem. Que a Vossa bondade permita aos espíritos consoladores derramarem por toda parte a paz, a esperança e a fé. Deus, um raio, uma faísca do Vosso amor pode abrasar a terra. Deixa-nos beber nas fontes dessa bondade fecunda e infinita e todas as lágrimas secarão, todas as dores acalmar-se-ão. Um só coração, um só pensamento subirá até Vós como um grito de reconhecimento e amor. Como Moisés sobre a montanha, nos Vós esperamos com os braços abertos, oh! Poder... oh! Bondade... oh! Beleza... oh! Perfeição, e queremos de alguma sorte alcançar a Vossa misericórdia. Deus, dai-nos a força de ajudar o progresso a fim de subirmos até Vós. Dai-nos a caridade pura; dai-nos a fé e a razão; dai-nos a simplicidade que fará de nossas almas, o espelho onde deve refletir a Vossa Santa e Misericordiosa imagem.
* * *
Mme. W. Krill.
Ditado pelo Espírito Cáritas.
25 de dezembro de 1873.

Palestra Edificante

Olá pessoas, compartilho com vocês uma palestra divulgada no youtube, o Palestrante espírita Divaldo Franco trata de um tema bem interessante e de nossa atualiadade. Trata das crianças índigo e crianças cristal.

http://www.youtube.com/watch?v=hZVd8ea10Io

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Mensagem do dia


"É durante as fases de maior adversidade que surgem as grandes oportunidades de se fazer o bem a si e aos outros."
Dalai-Lama

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Jornada Evolutiva


Galera, achei um vídeo no youtube, que ilustra de maneira simples o livro que falei na postagem anterior: http://www.youtube.com/watch?v=Xalkys7lWpU. Segue logo abaixo o endereço eletrônico para que possam baixar o livro Exilados de Capela.


Site para baixar o livro: http://www.alemdoarcoiris.com/DOWNLOADS/os_exilados_da_capela.pdf

Estou pesquisando também sobre a nova transformação que o nosso planeta vem sofrendo, e nós estamos sendo levaaaaaaaaados por esta onda evolutiva... Aguardem

A perda do Paraíso!


Exilados na Terra
Nathalia Leite
Segundo a crença espírita, milhares de anos atrás, um grupo de seres oriundos de uma estrela longínqua foi degredado para o nosso planeta. Algumas tradições afirmam que essa estrela se chama Capela e, desde a chegada desses seres, ocorreram profundas transformações, delineando novos rumos para a civilização que começava a se formar no globo terrestre.
Já entramos no terceiro milênio, e começamos a experimentar as turbulentas manifestações do expurgo a que terá de se submeter o planeta Terra para atingir sua nova fase evolutiva. Para a doutrina espírita kardecista, esta é uma fase de mudanças; ela explica que os espíritos aqui instalados passaram por terríveis provações e adversidades ao longo de inúmeras encarnações, e todos tiveram o apanágio do livre-arbítrio. Muitos aprimoraram a inteligência, em detrimento do amor incondicional; outros se tornaram seres amáveis e humildes, mas intelectualmente atrofiados. Enfim, todos seguiram por caminhos diferentes, mas tiveram oportunidades para aprender as mesmas lições.
Muitos acreditam que, chegado o fim deste ciclo de expiações e provas, os espíritos cujos corações continuam bloqueados pela presença da maldade, não poderão acompanhar os demais, que se encontram em estágio superior e, dessa forma, não poderão compartilhar da nova fase de regeneração. Teoricamente, eles irão constituir a nova leva de seres que serão deportados para outro orbe, inferior a este, para se misturarem às raças autóctones locais, passarem por novas dificuldades e edificarem uma nova civilização, até que alcancem o nível evolutivo de sua nação terráquea.
Da mesma forma, acredita-se que há milhares de anos, quando os primatas terrestres começavam a esboçar os primeiros sinais de hominização, tenha ocorrido a vinda dos exilados de Capela.
A Perda do Paraíso
“(...) Depois disse Iahweh Deus: “Se o homem já é como um de nós, versado no Bem e no Mal, que agora ele não estenda a mão e colha também da árvore da vida e coma e viva para sempre! E Iahweh Deus o expulsou do jardim de Éden para cultivar o solo de onde fora tirado. Ele baniu o homem e colocou diante do jardim de Éden, os querubins e a chama da espada fulgurante para guardar o caminho da árvore da vida”. (Gênesis, Cap. 3, Vs 22-24. Bíblia de Jerusalém, Paulus, 2002)
Esse episódio do Gênesis, que narra a “perda do paraíso”, é uma das passagens bíblicas mais conhecidas e comentadas. Existem diversas interpretações para esse mito, versões que procuram elucidar as mensagens codificadas pela linguagem alegórica da Bíblia (Gilberto, você vê necessidade de colocar a palavra Bíblia em itálico? Eu tirei.) Os católicos mais ortodoxos defendem que essas histórias são reais, tendo existido, de fato, um casal original que cometeu um pecado, herdado por toda humanidade.
No entanto, semioticistas famosos, como Joseph Campbell, interpretam essa narrativa como o mito da separação do Homem com o Todo Universal, caracterizando a perda do sentimento de unidade com Deus. Para Campbell, o “pecado original” de Adão e Eva foi quebrar essa harmonia plena com a natureza, simbolizada pela árvore do conhecimento, o que resultou na divisão do Todo entre Bem e Mal: a condição de dualidade subjacente a toda e qualquer experiência humana. Campbell acredita que Deus, então, seria a transcendência alcançada pelo Homem quando vence seus medos e seus desejos – a dupla de querubins que guardam a árvore da vida – e atinge a Imortalidade ou a Iluminação do Buda.
Contudo, existe uma outra versão, compartilhada por muitas pessoas no meio espírita. No livro A Caminho da Luz, o espírito Emmanuel diz, no capítulo em que fala sobre a época dos antepassados do homem: “Onde está Adão com sua queda do paraíso? Debalde nossos olhos procuram, aflitos, essas figuras legendárias, com o propósito de localizá-las no Espaço e no Tempo. Compreendemos, afinal, que Adão e Eva constituem uma lembrança dos Espíritos degredados na paisagem obscura da Terra, como Caim e Abel são dois símbolos para a personalidade das criaturas”.
Em concordância com essa explicação, o livro Os Exilados da Capela, escrito por Edgar Armond – esotérico que se converteu ao espiritismo –, também interpreta esse conto bíblico como um relato das reminiscências de um povo que, há muito tempo, foi exilado de um lugar maravilhoso, onde a evolução daquela humanidade atingia níveis morais e intelectuais inconcebíveis pela imaginação terráquea.
A grosso modo, Armond divide a história humana em três ciclos. O primeiro "(...) começa no ponto em que os Prepostos de Cristo, já havendo determinado os tipos dos seres dos três reinos inferiores e terminado as experimentações fundamentais para a criação do (...) tipo de transição entre os reinos animal e humano, apresentaram, como espécime-padrão, adequado às condições de vida no planeta, esta forma corporal (...). O ciclo prossegue com a evolução, no astral do planeta, dos espíritos que formaram a 1ª Raça-Mãe; depois com a encarnação dos homens primitivos na 2ª Raça-Mãe, suas sucessivas gerações e selecionamentos periódicos para aperfeiçoamentos etnográficos; na 3ª e 4ª, com a emigração de espíritos vindos da Capela; corrupção moral subseqüente e expurgo da Terra com os cataclismos que a tradição espiritual registra".
O segundo ciclo "(...) inicia-se com as massas sobreviventes desses cataclismos; atravessa toda a fase consumida com a formação de novas e mais adiantadas sociedades humanas e termina com a vinda do Messias Redentor". E o terceiro "(...) começa no Gólgota, com o último ato do sacrifício do Divino Mestre e vem até nossos dias, devendo encerrar-se com o advento do Terceiro Milênio, em pleno Aquário, quando a humanidade sofrerá novo expurgo – que é o predito por Jesus, nos seus ensinos, anunciado desde antes pelos Profetas hebreus, simbolizado por João no Apocalipse e confirmado pelos porta-vozes da Terceira Revelação – época em que se iniciará na Terra um período de vida moral mais perfeito, para tornar realidade os ensinamentos contidos nos evangelhos cristãos”.
Aprendizado na Terra
Segundo afirma Emmanuel no livro A Caminho da Luz, haveria uma Comunidade de Espíritos Puros e Eleitos pelo Senhor Supremo do Universo, em cujas mãos estariam as rédeas diretoras da vida de todas as coletividades planetárias. Esses “obreiros” de Jesus seriam os responsáveis pela Criação do orbe terrestre e pela evolução dos seres que aqui se desenvolveram. Emmanuel explica que há muitos milênios, um dos orbes da Capela – que guarda muitas afinidades com o globo terrestre –, atingiu a culminância de um de seus ciclos evolutivos. Viviam ali povos já purificados física e moralmente, coexistindo com legiões de espíritos rebeldes e atrasados, não havendo mais sentido em continuarem habitando o mesmo espaço. Nessa etapa de transição, ocorreu o que chamamos de “separação do joio e do trigo”, tal como está começando a ocorrer aqui na Terra.
As grandes comunidades espirituais diretoras do Cosmos deliberaram o exílio desses espíritos aqui na Terra, onde, afirma Emmanuel, “aprenderiam a realizar, na dor e nos trabalhos penosos do seu ambiente, as grandes conquistas do coração e impulsionando, simultaneamente, o progresso dos seus irmãos inferiores”.
Estes “irmãos” aos quais Emmanuel se refere eram os homens primitivos, que caracterizaram a transição do reino animal para o hominal, configurando as raças autóctones que ficaram conhecidas no meio espiritualista como “pré-adâmicas”, ou seja, anteriores à vinda de Adão.
Para Amauri Costa, coordenador do curso de evangelização do Centro Espírita A Luz Divina, a melhor analogia para esse processo evolutivo de trânsito entre mundos é o método aplicado por nossas escolas. “O aluno, quando está atrasado em relação ao resto da classe, é retirado e posto numa outra sala para fazer recuperação, e lá ele irá encontrar outros alunos que estão no mesmo nível que ele ou num grau de aprendizagem inferior, até podendo ajudá-los a melhorar”, diz Amauri, exemplificando o que ocorre no Universo com toda a Criação. “É uma situação drástica, porque o natural seria que todos se desenvolvessem ao mesmo tempo e caminhassem juntos, mas cada um escolhe o caminho que quer seguir”, observa.
Aqui, portanto, caberia a máxima de que “todos os caminhos levam a Deus”, embora alguns sejam mais longos e dolorosos. Emmanuel explica que todos os seres foram criados para se tornarem entidades angelicais, e que todos os homens primitivos se tornarão anjos; alguns mais cedo, outros, mais tarde.
Amauri acredita que o final dos grandes ciclos se dá pelo esgotamento das possibilidades e dos recursos planetários, havendo a necessidade de uma mudança no perispírito humano, de modo que consiga sobreviver nas novas condições naturais. “O que vai mudar não é o planeta, mas o ser humano, que, por sua evolução moral e intelectual, se tornará mais leve e adequado às condições do planeta. É o que ocorre com a Terra, que está se tornando cada vez mais um lugar inóspito para se viver. Daqui a pouco, não haverá como existir num ambiente tão degradado, considerando nossa atual constituição física”. Ele explica que, por essa razão, não havia mais possibilidade daqueles espíritos cheios de iniqüidades continuarem vivendo em Capela, mesmo porque seus atrasados perispíritos não mais correspondiam à nova realidade física do orbe.Assim, esses espíritos desterrados teriam concorrido para a formação da raça humana, para o seu desenvolvimento e sua evolução, da mesma forma que o aluno atrasado de que fala Amauri, ajudando seus novos colegas que estão em estágio inferior.
A descida desses espíritos, segundo Edgar Armond, teria sido simbolizada na Bíblia pelo surgimento de Adão e Eva no planeta, cuja descendência – Caim, Abel e Seth – seria uma representação dos perfis de espíritos que encarnaram no globo, provenientes de Capela. Caim e Abel, desse modo, personificam as duas tendências de caráter dessas legiões emigradas que, em parte, eram formadas por “espíritos rebeldes, violentos e orgulhosos”, que ficaram por muito tempo na terra cultivando o solo, até que se redimissem de seus erros; e, por outra, por espíritos cujo temperamento mais pacífico e submisso às vontades de Deus os fez voltar logo ao orbe de origem.
Já Seth foi gerado à imagem e semelhança de Adão, e constituiu a corrente familiar que chegou até Noé, sendo, então, a única “linhagem” sobrevivente ao dilúvio. É interessante lembrar, também, que Enós, primeiro filho de Seth, foi o primeiro a invocar o nome de Iahweh Deus, segundo conta a Bíblia, o que poderia ilustrar a crença de que esses povos foram os responsáveis pelo despertar da espiritualidade nos ignorantes e primitivos homens terrestres. Seth representaria, então, a raça que semeou a chama divina nos corações dos homens, progrediu, sobreviveu ao cataclisma por vontade de Deus e deu origem à atual humanidade.
Os Quatro Grandes Povos
Emmanuel não fala em ordenação de raças, mas explica que as atuais raças brancas são descendentes daquelas oriundas de Capela, que encarnaram nos principais locais terrestres, onde as concentrações de tribos primitivas eram mais numerosas e evoluídas, e aí se misturaram aos terráqueos. A maioria, prossegue Emmanuel, estabeleceu-se na Ásia, de onde atravessou o istmo de Suez para a África, na região do Egito, encaminhando-se igualmente para a Atlântida. “Grande percentagem daqueles Espíritos rebeldes, com muitas exceções, só puderam voltar ao país da luz e da verdade depois de muitos séculos de sofrimentos expiatórios; outros, porém, infelizes e retrógrados, permanecem ainda na Terra, nos dias que correm, contrariando a regra geral, em virtude do seu elevado passivo de débitos clamorosos”, conclui Emmanuel.
Essas raças adâmicas teriam se reunido, de acordo com suas afinidades sentimentais e lingüísticas, em quatro grandes povos da antiguidade: a civilização do Egito, o grupo dos árias, o povo de Israel e as castas da Índia.
Os egípcios eram os que traziam mais vivas na memória as lembranças da antiga morada. Formaram a civilização mais evoluída e que menos débitos tinha no tribunal da Justiça Divina. Como espíritos possuidores de insondáveis segredos a respeito da vida e da morte, logo saldaram suas “dívidas” e regressaram a Capela, tendo muitos deles permanecido no astral terrestre com o intuito de contribuir para a evolução da humanidade, reencarnando periodicamente.
Às margens do Rio Ganges, formou-se a civilização hindu, formada pelos arianos puros. Apesar de seus elevados conhecimentos espirituais, dos quais provém grande parte da sabedoria espiritual do mundo de hoje, a civilização hindu espalhou-se pela região dominando os autóctones descendentes dos “primatas”, que possuíam uma pele escura, dos quais se diferenciavam física e psiquicamente. Os que ficaram na Índia organizaram uma sociedade de castas, que não se constituía num sentido apenas hierárquico, mas com a significação de uma superioridade orgulhosa e absoluta. Em vez de se integrarem às raças locais, impulsionando sua evolução de maneira humilde, os arianos da Índia viram nos aborígenes os párias da sociedade, a ralé de todos os seres.
Outra parte dos árias asiáticos, formada na sua maioria por espíritos descontentes e revoltados com as condições de seu degredo, migrou para outras terras à procura de novas emoções. Deles descenderam as famílias indo-européias como a sociedade dos gregos, eslavos, celtas, germanos e latinos. Se, por um lado, estabeleceram as bases da propriedade privada, que gerou tantos conflitos até os dias de hoje, por outro lado sua maior virtude foi a assimilação de elementos de todas as tribos que foram encontrando pelo caminho.
Diz Emmanuel que, de todos os espíritos degredados na Terra, foram os hebreus que constituíram a raça mais forte e homogênea, mantendo inalterados os seus caracteres através de todas as mutações. No entanto, à semelhança do povo hindu, o paradoxo da comunidade de Israel foia grandeza de sua fé na existência do Deus único em proporção ao seu orgulho e seu sentimento de superioridade espiritual.
Controvérsia
Entre as correntes espiritualistas e espíritas propriamente ditas, ainda existem muitas versões e divergências no que diz respeito às raças que povoaram a Terra; de onde vieram, de que maneira, para onde foram, e a ordem cronológica em que os fatos se deram.
O que deveria ser apenas uma discussão de idéias e de suposições – afinal, como se sabe, há mais mistérios entre o Céu e a Terra do que pode supor nossa vã filosofia – chega a se transformar numa luta de egos, uns querendo impor suas opiniões e verdades aos outros.
O que se depreende de todas essas histórias – relatadas de formas diferentes por inúmeros povos ao redor do globo –, é que a evolução é o destino inexorável do ser humano, do qual ninguém pode escapar. Jesus, ao longo de sua encarnação na Terra, só nos falou sobre amor, paz e igualdade. Sabia que, se nem mesmo essas mensagens ainda haviam sido compreendidas pelos humanos, o que dizer das extensas e complexas explicações sobre as transmigrações planetárias?
Fonte:
http://www.espirito.org.br/portal/publicacoes/esp-ciencia/003/capela.html (acessado em 19/01/2010 às 13:18h)

Oração


Que eu me torne em todos os momentos, agora e sempre, um protetor para os desprotegidos, um guia para os que perderam o rumo, um navio para os que têm oceano a cruzar, uma ponte para os que têm rios a cruzar, um santuário para os que estão em perigo, uma lâmpada para os que não têm luz, um refúgio para os que não têm abrigo e um servido para todos os necessitados.

Dalai-Lama

Caminho, Verdade e Vida

Caminho, Verdade e Vida
Nossa Luz

Música Oriental